Ações da Uber estreiam na Bolsa com queda

As ações da Uber começaram a ser vendidas na Bolsa de Valores de Nova York na última sexta-feira, dia 10 de maio.

Apesar de ter sido uma das maiores IPOs dos últimos anos, a empresa não manteve o embalo no seu primeiro pregão completo e registrou queda brusca.

Será que isso indica um futuro ruim para a Uber no mundo inteiro? Vamos ver a seguir!

Como foi a expectativa para as ações da Uber?

Quando uma empresa decide começar a vender suas ações na Bolsa de Valores, o evento é chamado de IPO.

É um momento muito importante pois determina o nível básico de expectativa do mercado perante aquela empresa.

Em outras palavras, é como se os investidores do mercado tentassem precificar uma empresa.

Isso aconteceu com a Uber na semana passada, depois de um longo período de preparação.

Durante o ano passado, a Uber fez reuniões e preparações com vários dos grandes investidores do mercado e conseguiu alavancar uma perspectiva de $120 bilhões de dólares americanos, algo como R$ 480 bilhões na cotação atual.

Quando as ações finalmente foram a venda e a Uber começou a ser comercializada, cada papel da empresa valia algo como $45 dólares, um preço razoável para uma empresa deste porte e que estava começando a sua jornada na Bolsa de Valores.

Porém, durante o dia o valor de cada ação da Uber caiu para $41,57 dólares, algo como R$ 167 na cotação atual.

Isso significa uma queda de 7,6% do valor total da empresa apenas no seu primeiro dia na Bolsa de Valores, um resultado considerado péssimo.

Para se ter uma ideia, a perspectiva era que a Uber estreasse no mercado com valor de $120 bilhões de dólares. No fim dessa segunda-feira, dia 13 de maio, seu primeiro dia “oficial” na Bolsa de Valores, a empresa foi precificada em $76,5 bilhões de dólares.

Como deu para ver, um resultado muito abaixo do esperado.

O que causou essa queda nas ações da Uber?

É difícil dizer com precisão o que foi que causou essa queda de valor nas ações da Uber logo no primeiro dia de pregão.

Por um lado, é relativamente normal para empresas novatas levarem uma “surra” de boas-vindas no mercado financeiro.

Especialmente uma startup como a Uber, que levanta dúvidas sobre a sua lucratividade e modelo de negócios.

A Lyft, uma outra empresa de transporte individual, passou por um problema muito parecido recentemente.

A companhia estreou na Bolsa de Valores em 29 de março de 2019, com cada ação custando algo como $78,29 dólares.

Atualmente, as ações da empresa são comercializadas em $51,09 dólares, uma queda de quase 35%.

Parte disso, segundo especialistas, está na superestima dessas startups antes de chegar à Bolsa e, outra parte, nas dúvidas dos investidores sobre se elas poderão ou não ser lucrativas. Na prática, isso significa que os investidores esperarão pelos balanços comerciais dessas empresas para saber se elas são ou não lucrativas e valem a pena comprar.

Outro motivo para essa queda de ações da Uber pode ser o protesto realizado pelos seus motoristas no mundo inteiro.

Eles protestam pelas condições de trabalho e repasse dos valores das corridas por parte da empresa e, com é claro, levantaram ainda mais dúvidas nas cabeças dos investidores, diminuindo o interesse nas ações da Uber.

E aí, o que você achou da novidade? Acredita que a Uber se manterá uma empresa lucrativa no longo prazo ou acha que essa queda nas ações da Uber vai continuar por mais tempo? Comente abaixo!

Compartilhe

DEIXE O SEU COMENTÁRIO