CAOA fala sobre abrir marca nacional de carros

Você já reparou na ausência de uma marca nacional de carros? Uma empresa que faça e venda veículos 100% nacionais?

Desde a abertura do mercado automobilístico no começo dos anos 90, os carros nacionais desapareceram e foram substituídos por modelos internacionais.

Mas será que há a chance desse cenário mudar pelo menos um pouquinho? A CAOA acha que sim.

Nessa semana, a empresa voltou a falar sobre o seu antigo desejo de fabricar veículos 100% nacionais. Será que vai dar certo? Veja a seguir!

Qual o plano da CAOA para se tornar uma marca nacional de carros

Carlos Alberto de Oliveira Andrade, o presidente da CAOA, falou em entrevista ao site Automotive Business que o projeto para uma marca nacional de carros já está pronto.

Quem acompanha as notícias sobre o mercado nacional de automobilismo sabe que a CAOA já tinha esse plano há algum tempo, mas parece que as coisas avançaram mais recentemente.

Para que a CAOA possa avançar ao próximo nível, ela precisará fechar a compra da fábrica da Ford, localizada na cidade de São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

Por isso, é seguro presumir que a fábrica de Taboão (nome do bairro de São Bernardo onde a fábrica está localizada) será usada como base para essa marca nacional.

Além disso, o presidente da empresa afirmou que a linha de montagem de São Bernardo também seria usada para uma linha de caminhões no Brasil, embora não necessariamente nacional.

Há conversas antigas sobre uma negociação para trazer caminhões da Hyundai ao Brasil, além da hipótese de manter a produção de caminhões da Ford (uma das poucas linhas da empresa americana que dá lucro no Brasil).

Vale lembrar que a CAOA tem experiência com a produção de carros aqui no Brasil.

A marca representa os interesses da Hyundai e da Chery no país e conta com fábricas para as duas empresas aqui no Brasil.

Ou seja: aqueles HB20s e QQs que você vê pela rua são feitos aqui mesmo, em fábricas da CAOA.

Ou seja: a empresa tem o know-how de como produzir um veículo em solo nacional. Resta saber se conseguirá desenvolver os veículos também.

A CAOA afirma que a compra de Taboão é essencial para tirar do papel o sonho de criar uma marca nacional de carros.

De acordo com a entrevista, a ideia é que as negociações com a Ford sejam finalizadas até outubro desse ano e, portanto, que a partir daí a empresa possa começar a produzir veículos em São Bernardo do Campo.

Talvez já podemos sonhar com um veículo 100% nacional, de larga escala e penetração, em 2021? Ou seria ainda muito cedo para isso?

Será que, em um primeiro momento, Taboão seria usada para ampliar a capacidade produtiva de veículos da Hyundai e Chery e, só depois, nós veríamos um veículo tupiniquim saindo de lá?

Essas perguntas só poderão começar a ser respondidas em outubro, se a CAOA fechar mesmo a compra de Taboão com a Ford.

Antes disso, porém, o presidente da empresa afirmou que a CAOA está pronta para adicionar uma nova marca estrangeira no seu portfólio: a chinesa Exeed.

E aí, o que achou da ideia de uma marca nacional de carros? Comente com a sua opinião a seguir!

Compartilhe

DEIXE O SEU COMENTÁRIO