Europa cria combustível de carro feito com óleo de cozinha usado

O mundo continua buscando por alternativas para o uso do combustível fóssil, que está acabando e polui muito o planeta. Uma das alternativas é a energia elétrica, que já começa a dominar o setor de carros.

Outra opção é o combustível criado recentemente pela União Europeia: o BlueDiesel R33. Esse composto é feito a base de óleo de cozinha usado e promete ser uma mudança de impacto na indústria de automóveis no mundo todo.

Vamos descobrir mais sobre ele a seguir!

BlueDiesel R33: o que é o combustível feito com óleo de cozinha

Esse novo combustível criado pela União Europeia foi desenvolvido para ser usado em todos os carros que se móvel a diesel. Ele serve tanto para veículos novos, recém-lançados, como para aqueles mais antigos, mas que contam com sistema diesel.

Uma das suas características básicas é que ele ajuda a reduzir a emissão de CO2 na atmosfera em 20%. O impacto em larga escala (se toda a frota de carros diesel começar a usar esse produto) pode ser enorme.

Na sua composição, cerca de 33% da fórmula é resíduos de óleos de cozinha usados e parafinas. Isso é possível porque o descarte correto do óleo de cozinha na Europa já é bem difundido, há diversos pontos de coleta na União Europeia inteira e o sistema já está bem organizado para coletar óleo o suficiente para ser usado como combustível.

Já os outros 67% da fórmula do BlueDiesel R33 são diferentes compostos de aditivos e uma parte derivada do petróleo. Ou seja: mesmo com a ideia de usar óleo de cozinha e material renovável, ainda há uma parte do BlueDiesel que usa derivado do petróleo.

No momento, a perspectiva é que esse novo combustível possa ter um impacto enorme e funcionar como uma transição do veículo a gasolina para os carros elétricos.

Como se sabe, países como a Alemanha já estabeleceram uma data para o fim das vendas dos carros a combustão: 2030. A ideia é que esse combustível um pouco mais ecológico, que ajuda a dar utilidade ao óleo de cozinha descartado, emite menos CO2 e usa menos petróleo, possa mover a frota de carros até essa data.

Como o BlueDiesel R33 foi criado?

A Alemanha é o país de origem do BlueDiesel R33. Foram os alemães que pensaram na ideia desse combustível e fizeram todo o trabalho científico por trás dessa criação. Afinal, não é a toa que eles estão realmente comprometidos com o uso de combustíveis menos poluentes: o país tem a quarta maior produção de veículos do planeta. Por isso, se preocupam muito em tomar a dianteira em um mercado que é inevitável, o que carros com combustíveis renováveis e não-poluentes.

O BlueDiesel R33 (que, repetimos, parece ser um combustível de transição e não uma solução não-poluente definitiva), começou a ser desenvolvido na Universidade de Coburgo, mas contou com o apoio de várias empresas para que o projeto desse certo.

A Volkswagen de Wolfsburg, por exemplo, forneceu cerca de 280 carros TDI para serem usados nos testes dos cientistas e pelos funcionários da Universidade que estavam trabalhando nesse projeto.

Outra empresa que contribuiu para esse desenvolvimento foi a Bosch, que alterou os sistemas de injeção Common Rail usados nos carros teste da nova tecnologia. Por fim, as petrolíferas Tecosol, Neste e Shell assumiram para si o papel de distribuir o novo diesel pela Europa. No momento, não são todos os países que receberam o combustível, mas a ideia é que mais e mais localidades possam usar o BlueDiesel R33 e, quem sabe, até mesmo países de outros lugares do mundo, como o Brasil.

O que achou desse novo combustível feito com óleo de cozinha? Deixe sua opinião em um comentário abaixo!

Compartilhe

DEIXE O SEU COMENTÁRIO