Tesla Model Y: conheça o carro elétrico “para as massas”

Apesar da Volkswagen dizer que não era possível lançar um carro elétrico com preço acessível para “as massas”, a Tesla vai tentar fazer isso com o Tesla Model Y.

A empresa americana realizou uma conferência de imprensa na madrugada dessa sexta-feira (no horário de Brasília) para apresentar ao mundo sua SUV compacta, que visa ser o primeiro carro elétrico para a classe média.

Confira mais informações sobre o veículo a seguir!

O que o Tesla Model Y tem de bom

A Tesla já é dona dos carros elétricos mais vendidos do mundo, embora enfrente grande concorrência das marcas chinesas e das montadoras tradicionais, que agora começam a entrar no mercado, como a Ferrari e outras.

A resposta da empresa para esses “ataques” é tentar fazer aquilo que todos dizem ser impossível no momento: lançar um carro com preço “baixo” e acessível para a classe média.

Segundo o CEO da empresa, Elon Musk, o veículo é construído sobre a mesma plataforma usada pelo Model 3 e tem como data de lançamento a primavera de 2020, mais ou menos daqui a um ano.

Como as estações do Hemisfério Norte são invertidas com as nossas, a primavera deles acontece entre o fim de março e o fim de junho.

O Tesla Model Y será lançado com uma versão “oficial” no ano que vem, com autonomia de 483 quilômetros na bateria (isso é um pouco mais do que a distância entre São Paulo e Rio de Janeiro). O preço dessa versão será de $47 mil dólares, equivalente a R$ 180 mil na conversão direta atual.

Depois, em 2021, uma versão de entrada, mais simples e mais barata, será lançada pela empresa. A autonomia será menor (370 quilômetros, menos que a distância entre São Paulo e RIo de Janeiro) e o preço será menor também: $39 mil dólares, equivalente a R$ 150 mil na conversão atual.

Ambas as versões poderão ser receber um adicional para colocar 7 lugares no carro pelo valor de $3 mil dólares, ou R$ 11,6 mil na cotação atual.

Fora esses dados, a Tesla não ofereceu mais nenhuma informação técnica sobre o carro, exceto que ele será um pequeno utilitário esportivo (que é o segmento que mais cresce internacionalmente, especialmente por causa dos EUA e da China).

Aliás, a China é o maior mercado automotivo do mundo e a Tesla está de olho nela, visando construir uma fábrica lá dentro, para tentar posicionar o Model Y com destaque em solo chinês.

O plano da empresa parece ser usar o Tesla Model Y para tentar apagar as turbulências recentes em relação à sua marca.

No ano passado, as ações da empresa caíram mais de 24% por causa dos tweets de Elon Musk, que levaram a um processo federal nos EUA e uma multa para o executivo.

Recentemente, a empresa afirmou que iria fechar grande parte das suas lojas e baixaria o preço em 6% – depois, voltou atrás e falou que, na verdade, deixaria as lojas abertas e aumentaria o preço em 3%.

Com toda essa confusão, a confiança na empresa caiu bastante. Agora, a ideia é que o Model Y entre para brigar no segmento que mais cresce e possa conquistar uma boa fatia do mercado para a Tesla, que já é referência em carros elétricos, mas vê outras marcas se aproximando.

E aí, o que achou desse Tesla Model Y? Acha que um carro de R$ 150 mil pode ser considerado “das massas”? Comente abaixo!

Compartilhe

DEIXE O SEU COMENTÁRIO