Toyota cria sistema anti-ladrões com gás lacrimogêneo

Se existe um medo comum a praticamente todo dono de carro é o medo de ter seu veículo roubado. Porém, a Toyota anunciou nessa semana um sistema anti-ladrões com gás lacrimogêneo.

A empresa japonesa registrou a patente de uma tecnologia que tenta combater esse tipo de problema usando uma solução mais agressiva que o normal: a emissão de um gás capaz de incapacitar, em certo nível, o ladrão.

Confira mais sobre a novidade a seguir!

Como funciona o sistema anti-ladrões com gás lacrimogêneo

A nova patente registrada pela Toyota é curiosa. Na verdade, o foco dela não é necessariamente soltar gás lacrimogêneo em um ladrão, esse é apenas um dos usos do sistema (que a empresa japonesa espera usar para conseguir vender a tecnologia e usá-la em seus carros).

O sistema, de modo geral, consegue libertar qualquer tipo de gás dentro da cabine do carro, de acordo com quem estiver atrás do volante.

Por exemplo, imagine um casal que divide o mesmo carro. Ele adora o cheiro de café recém-passado. Já ela, prefere um aroma mais suave, de plantas, talvez um jasmim ou até mesmo um manjericão.

Se o sistema detectar que quem vai dirigir é ele, soltará a fragrância de café, que é a sua favorita. Já se o sistema detectar que ela está no volante, o aroma liberado é outro.

Por causa disso, o sistema consegue também soltar algum gás caso não detecte quem é o usuário e considere aquela partida de carro como não autorizada.

Nesse sentido, seria possível soltar o gás lacrimogêneo para tentar inibir os bandidos de cometer o roubo.

Depois disso, a tecnologia registrada pela Toyota permitiria higienizar o carro depois que as pessoas usassem.

Qual o problema dessa tecnologia?

Bom, em primeiro lugar, o problema óbvio é a presença de gás lacrimogêneo dentro do carro.

Qualquer sistema pode ter algum tipo de problema ou funcionar erroneamente. É praticamente impossível garantir que um sistema funcionará corretamente 100% das ocasiões em 100% das suas replicações. Por exemplo, se a Toyota fizer 1 milhão de carros com essa tecnologia, é seguro afirmar que, digamos, 0,05% deles poderão funcionar com problemas.

Isso daria 500 carros com problemas diversos, como soltar gás lacrimogêneo nos seus usuários.

Outro problema, esse provavelmente mais comum, seria o risco de uma batida liberar o gás lacrimogêneo dentro do carro, piorando a situação.

Nos anos 90, uma tecnologia parecida foi lançada na África do Sul. O BMW Blaster tinha um sistema de lança-chamas lateral, que soltava fogo pelas portas dianteiras.

A ideia era tentar combater o alto índice de roubo e sequestro no país africano.

Caso o motorista visse que havia o risco de ser roubado ou sequestrado, ele apertava um pedal ao lado do acelerador e acionava as labaredas. Na época, o sistema custava $650 dólares americanos e foi descontinuado com a falta de retorno financeiro.

Por enquanto, a tecnologia da Toyota é apenas um protótipo, mas ela poderá se tornar realidade no futuro.

E aí, o que você achou desse sistema anti-ladrões com gás lacrimogêneo? Acha que seria uma boa ou poderia causar mais acidentes? Comente abaixo!

Compartilhe

DEIXE O SEU COMENTÁRIO